A Comissão de Meio Ambiente (CMA), do Senado, aprovou, no dia 15 de junho, a proposta que institui a Política Nacional de Incentivo à Agricultura e Pecuária de Precisão (PL 149/19). A matéria segue para apreciação da Comissão de Agricultura e Reforma Agrária. 

O presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, comentou que a ampliação da prática de boas técnicas na produção agropecuária reduz custos, diminui desperdícios e aumenta a produtividade. “Até pouco tempo entendíamos que agricultura de precisão se resumia, basicamente, às máquinas com receptores de GPS e a geração de mapeamento da produção. Atualmente, sabemos que abrange também medidas de manejo e gestão de toda a propriedade. O avanço da agricultura de precisão reflete diretamente no aumento da rentabilidade dos produtores rurais e as cooperativas são umas das principais vias de acesso a essas tecnologias. A relevância desta proposta também está na garantia da sustentabilidade ambiental, social e econômica”, afirmou. 

A senadora Kátia Abreu, que emitiu relatório favorável ao texto, destacou que a proposta está alinhada aos compromissos do Brasil com os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Agenda 2030, da Organização das Nações Unidas (ONU). “Essa proposta é capaz de suprir as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade de atendimento das necessidades das futuras gerações, com garantia de não esgotamento dos recursos naturais. A agricultura e pecuária de precisão também estão associadas ao conceito de agricultura 4.0, que utiliza tecnologia avançada para avaliar e acompanhar de maneira mais precisa as condições diferenciadas das áreas de atividades agronômicas, baseada no princípio da variabilidade do solo e clima”, disse. 

De autoria do deputado Heitor Schuch, a proposta tem o objetivo de garantir instrumentos essenciais para implantação da Agricultura 4.0. “A intenção é desenvolver o Agro baseado na pesquisa, no desenvolvimento tecnológico, na assistência técnica e na extensão rural, na qualificação e gestão dos recursos humanos”, afirmou Schuch.  

O texto prioriza também as parcerias com entidades públicas e privadas na política de incentivo à agricultura de precisão. 

Redação Cocari com informações do Sistema OCB 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *